Pesquise No Blog

Loading

quinta-feira, 12 de maio de 2011

A "morte" de Osama e suas consequências

Muitos questionamentos vieram com a “morte” do terrorista Osama Bin Laden bem como sobre o futuro dos EUA, do Paquistão e, por que não, do mundo.

Quero continuar este pequeno ensaio explicando o porquê de escrever sempre sobre a "morte" de Osama utilizando aspas.

Assim como muitos, e discorrerei sobre isso nesse texto, eu desconfio e muito da tal morte do terrorista, mas não pelo simples fato de não terem mostrado a foto do corpo, mesmo tendo surgido umas montagens bem mal feitas em photoshop, mas porque acredito também que isso possa ser nada mais do que uma trama muito bem arquitetada.

Posso até ser acusado de fazer teoria da conspiração aqui, mas vou tentar jogar com os fatos para defender o que acho.

Claro que todos sabemos que ainda é cedo para avaliarmos o que essa “morte” causará de impacto pelo mundo. Muito se fala em revanchismo, em mortes e destruição ao redor do mundo e principalmente contra os EUA, mas ainda acho muito cedo para se formar uma opinião concisa sobre o assunto. Mas acredito que pelo menos uma coisa fica muito latente diante disso tudo, mesmo que em caráter imediatista e que nos permite pensar em algumas questões.

De início queria levantar um pequeno histórico em relação ao presidente Obama. Nada muito denso, mas apenas pincelando alguns fatos que, a meu ver, comporiam o ponto de vista que aqui pretendo defender.

Obama foi eleito em 2008, com uma plataforma que negava por assim dizer a diretriz de seu antecessor e pregava um novo tempo para os EUA com diversas reformas, entre elas a reforma da saúde que ainda gera polêmicas até hoje, além do carro-chefe por assim dizer de sua campanha que era o fim da “guerra ao terror” implementada pelo seu antecessor que em sua busca incessante pelo nada (ou talvez simplesmente tentando aquecer a economia americana através da máquina de guerra, que, infelizmente gera lucro, já que a indústria da guerra, por exemplo, precisa de aço pra fazer seus tanques (siderurgia), precisa de comida para alimentar seus soldados (agricultura), precisa de uniformes para vestir seus soldados (têxtil), etc...) acabou se afundando em seu próprio conto e terminou depreciado por seus eleitores.

Enfim, sobre toda uma bandeira de mudança Obama foi eleito e o povo americano parece ter comprado seu discurso. Pois bem, 3 anos se passaram e vimos que a reforma da saúde está cada vez mais confusa, como já tentei explicar em posts anteriores, e a chamada guerra ao terror só foi extinta em um país no Afeganistão e mesmo assim Obama já tem planos de relocar tropas do Iraque para o Afeganistão depois dos acontecidos. Além disso, Obama começou na presidência com uma bomba em suas mãos: a crise americana de 2008/2009 que praticamente quebrou não só os EUA como diversos países pelo mundo. Portugal e Grécia que o digam.

Somando todos os fatos acima, o governo de Obama veio sendo contestado a torto e a direito, quiseram até inventar que nem americano ele seria e que, portanto, sua eleição deveria ser anulada. Mas o fato foi rapidamente esclarecido. Contudo a contestação de seu governo, quase que constante, aliada as promessas não cumpridas, ou pifiamente cumpridas, em sua campanha levou a sua popularidade a quedas praticamente vertiginosas e o seu governo começou a ser mal visto pelos americanos. O que acabou virando um prato cheio para seus opositores.

Com isso, acho que fica clara a necessidade de Obama em dar a volta por cima, leia-se um belo de um cala a boca, em todos os seus oposicionistas e mostrar aos seus eleitores que ele poderia sim reverter esse quadro de incredulidade e insatisfação e ainda ser digno de confiança, por conta até mesmo das eleições que se aproximam e não duvido que Obama tente a reeleição. 

Juntando esse quadro de desconfiança e a pressão exercida por seus opositores, não haveria saída melhor do que conseguir “matar” o terrorista número 1 do mundo e fazer em apenas um mandato o que o seu antecessor levou 2 pra fazer e não chegou nem perto, certo? O problema nessa questão me pareceu o como fazer...

Acredito eu que para que isso tenha se concretizado tenha rolado um baita de um acordão. A inteligência americana no mínimo deve ter se cansado desse “gato e rato” inútil e deve ter usado alguém com ligações com Obama para firmar um acordo. Algo do tipo a gente esquece você e você fica sem explodir nada por um bom tempo.

Feito este acordo, grosseiramente explicitado acima, ventilou-se pelo mundo todo que o terrorista mais procurado do mundo estava “morto” e Obama finalmente conseguiu a cartada que precisava para contornar essa situação de desconfiança e ir com chances reais de garantir sua reeleição. Fato é que desde a notícia da “morte” de Osama a popularidade de Obama subiu 37%, praticamente um recorde.

Contudo, não demoraram a surgir os questionamentos sobre o corpo e como teria se dado a morte de Osama. E é aí que coisa começar a se enrolar... Em apenas uma semana foram ventiladas 3 versões diferentes: 1- ele estava desarmado, 2- ele estava armado e sem colete, 3- ele estava de colete e armado. A desculpa para essa confusão toda foi a pressa do governo americano em dar a notícia. Particularmente achei que essa não colou....

Quanto ao seu corpo, acabou virando oferenda e foi atirado ao mar, segundo dizem. E a questão quanto a foto do seu cadáver mais parece novela mexicana: longa, desnecessária e com um fim bastante previsível. Ou seja, fizeram um mistério enorme sobre a foto sem necessidade, ventilaram até uma imagem feita grosseiramente com retoques de photoshop e ventilaram como real e depois o presidente vem a público dizer que não vai divulgar a foto.

Agora, por que não divulgar a foto? Se for para não chocar a população ao ver a foto de um cadáver a hipocrisia desse pessoal bateria no teto, pois é só nos remetermos ao 11 de setembro e veremos que a situação teve proporções bem maiores e não deixou de ser filmada um minuto se quer, inclusive mostrando pessoas se atirando do prédio e caindo ao chão se estatelando no mesmo. E isso só pra servir de exemplo, pois temos casos bem mais extremados e que a população assistiu sem o menor receio de ficar chocada.

Porque também não divulgar a foto para mostrar a todos que você realmente matou e também inflar seu ego até o teto? Eu duvido que se qualquer um que lesse este ensaio tivesse feito isso, não faria questão de mostrar ao mundo que matou o terrorista mais procurado do mundo. Iam mostrar foto, vídeo e tudo mais que pudessem. E nem adianta dizer que foi pra preservar a integridade do “morto” porque o mesmo foi perseguido ferozmente durante anos e só agora é que vão demonstrar respeito por ele? (não estou aqui defendendo Osama, estou apenas mostrando a discrepância e a hipocrisia através de comparações em torno do suposto retrato de sua morte).

Portanto, acredito que em caráter imediatista a única coisa que podemos aferir é que a popularidade de Obama sofreu um aumento vertiginoso e que as questões acerca da suposta foto do seu cadáver são confusas e contraditórias. Pode ser que eu esteja errado, pode ser que amanhã ou depois esta bendita foto apareça, mas, com as coisas nos rumos em que estão, não acredito que isso tenha sido nada mais do que uma mega jogada de marketing para alavancar Obama para próxima reeleição.

É preciso esperar para ver ainda, muita coisa ainda pode rolar e essa análise foi apenas em caráter imediatista. Muita coisa pode acontecer e, como disse acima, para fazer uma análise concisa, leva tempo para ver todos os desdobramentos. 

Deixo aqui apenas uma hipótese em caráter inicial.     

Nenhum comentário:

Postar um comentário