Pesquise No Blog

Loading

terça-feira, 29 de outubro de 2013

IBGE lança mapa de Densidade Demográfica de 2010

Foi lançado pelo IBGE um mapa com a densidade demográfica brasileira de 2010 (mapa abaixo). 

A partir dele gostaria de fazer algumas considerações... 




  1. A concentração demográfica do nosso país ainda está no litoral. Isso se explica pois, historicamente, nossa ocupação por parte dos portugueses começou pelo litoral, bem como o desenvolvimento das primeiras atividades econômicas do nosso país (Pau-Brasil, cana-de-açúcar; mineração; café...).                                                      
  2. A construção de Brasília ajudou e criar pequenas áreas de concentração populacional no Centro-Oeste do país, embora ainda haja um certo vazio demográfico na região que pode ser explicado em parte pela presença de grandes propriedades de terra na região bem como parques e reservas florestais.                                                                                                                                                  
  3. Já na região Norte, apesar de uma pequena mancha urbana proveniente da Zona Franca de Manaus, ainda há um grande vazio demográfico. Isso também pode ser explicado pela existência de reservas florestais e indígenas nesta região. (por favor, não estou dizendo isso como se fosse algo ruim o fato de existirem reservas, estou apenas explicando o porque de certas áreas apresentarem vazios demográficos e outras uma enorme concentração). Outro fator que também pode ajudar a explicar este vazio é o quadro físico da Amazônia por conta de seus solos que são divididos em três tipos - igapó, várzea e terra firme; onde só o último possibilita ocupação humana - e seus extensos rios que dificultam a ocupação por seus grande volumes (mais uma vez não vejam isso como aspecto negativo) porém são utilizados como principal meio de transporte na região norte.                                                                                                                            
  4. A região Sul apresenta grande concentração populacional por conta, em parte, da atração de migrantes realizada no século XIX; além disso também pode se justificar pela grande quantidade de pequenas propriedades existentes na região que são voltadas para a prática agrícola e a pecuária, especialmente o gado de corte.                                                                                                                                       
  5. Ao longo dos anos, de uma maneira geral, continuamos esmagadoramente concentrados no litoral. Embora tentativas de ocupar o interior do nosso país foram implementadas como a construção de Brasília e a Zona Franca de Manaus, a população brasileira ainda está presa ao litoral já que grande parte das nossas atividades econômicas estão concentradas no mesmo e duas cidades - RJ e SP - que juntas respondem por mais da metade das riquezas geradas em nosso país também estão presentes no litoral. Isso explica a nossa concentração, embora tentativas de ocupar mais o interior fossem realizadas ao longo dos anos. 

Curiosidade:

Quando construíram Brasília alegaram que a transferência da capital era necessária pois, estando ela próximo ao litoral (antes a nossa capital federal era o Rio de Janeiro) a mesma ficaria mais suscetível a ataques inimigos. Ao passo que estando mais para o interior os ataques seriam dificultados. 

Esses motivos eram pura faxada. Os reais motivos para a transferência da capital eram fugir da pressão sindical, já que o Rio de Janeiro era de fácil acesso para protestos; habitar uma cidade planejada, onde, caso houvessem esses protestos, a polícia poderia chegar a qualquer lugar da cidade em 5 minutos, como é o caso de Brasília; promover a ocupação do interior do país, por medo de que habitantes dos países fronteiriços ao nosso, nesta região do país, invadissem nossas terras e ali fixassem moradia (esse mesmo motivo levou os militares a criarem a Zona Franca de Manaus sob o lema de "integrar para não entregar"). 

Nenhum comentário:

Postar um comentário