Pesquise No Blog

Loading

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Um oceano de lama que ninguém se dá conta...

O assunto desta semana não poderia ser outro que não o desastre ambiental ocorrido em MG com o rompimento de duas barragens de uma mineradora que já consta como o maior acidente do estado mineiro. 

Por baixo do oceano de lama que varreu bairros, casas, carros e ceifou vidas uma tonelada de dúvidas a respeito da tragédia se acumula e as respostas parecem cada vez mais obscuras. 

Ainda não se sabe ao certo o número de vítimas, até porque, curiosamente, apenas a empresa tem acesso ao local do acidente, mas se sabe que em cidades como Bento Rodrigues, metade da população não conseguiu escapar da enxurrada de lama que ocorreu com o rompimento das barragens.

Soma-se a isso um prejuízo estimado (repetindo: estimado) em R$ 500 milhões! Isso sem contar as vidas humanas que se perderam e não há estimativa que as façam voltar. 

Mas o que intriga é que estão mostrando o fato como se fosse algo simples... E não é! Para se ter uma ideia a quantidade de lama, com rejeitos minerais é bom que se reforce, está estimada em 62 milhões de litros! Como se isso já não fosse assustador o bastante, o acidente está afetando a maior bacia hidrográfica do Sudeste do país, onde alguns rios já começam a ter seus trechos cimentados pela lama com ferro contido em seus rejeitos. 

E a lista só aumenta quando paramos pra pensar na perda de biodiversidade local, na contaminação dos rios - tornando a água imprópria para o consumo - na perda de solos agricultáveis, assoreamento dos rios - com alguns podendo até desaparecer ou terem seu curso alterado; cobertura da vegetação pela lama, interferências na cadeia do ecossistema local, prejuízos econômicos que durarão ANOS!... A lista não para. 

E o oceano de lama continua seu curso de destruição, chegando ao estado vizinho (ES) - como você pode conferir no mapa abaixo - que já montou uma brigada para evitar a falta de água no estado, bem como já está fazendo a remoção de ninhos de tartarugas da foz dos rios que serão atingidos pela onda de lama que varreu cidades em MG. 



Ainda é cedo para se calcular o tamanho deste prejuízo economicamente, socialmente, ambientalmente e em todas as outras instâncias possíveis. Mas o mínimo que se espera dessa situação é que os culpados respondam por seus atos e que essa tragédia seja encarada como uma das maiores do país e não como mais uma. Os inocentes que perderam suas vidas merecem isso...


Com informações do Outras Palavras, Gazeta OnlineBrasil de Fato e G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário