Pesquise No Blog

Loading

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

No, you can´t !

A bola da vez na questão nuclear realmente se tornou o Irã. Depois de anunciar a extensão do programa nuclear causando alvoroço no cenário mundial passível até de sanções de alguns países - pasmem ! os países que detém o poder bélico nuclear - Um acordo foi previamente estabelecido e o Irã se mostrou disposto a aceitar. Neste acordo o Irã trocaria o Urânio pouco enriquecido que produziria por um já enriquecido destinado a uso como combustível; tudo para o que o Irã não faça o processo de enriquecimento com o intuito de produção de arma bélica.

Essa questão ainda vai longe ainda mais com o medo que os EUA tem de que qualquer países que desenvolva tecnologia nuclear seja para armamento bélico; afinal de contas só eles e meia dúzia de países podem e o resto do mundo não pois todos querem armas nucleares e ninguém quer isso para fins de produção de energia...


TEERÃ (Reuters) - O Irã disse na terça-feira que está disposto a trocar combustível nuclear, conforme um plano mediado pela ONU, mas insistiu para que isso ocorra dentro do seu próprio território.

Os Estados Unidos e seus aliados pretendem impor nas próximas semanas novas sanções ao Irã devido à sua recusa em abandonar suas atividades de enriquecimento de urânio.

Uma alternativa a isso seria o esquema pelo qual Teerã entregaria urânio baixamente enriquecido, para em troca receber combustível nuclear de maior pureza, para uso em um reator de pesquisas médicas.

Dessa forma, os países ocidentais acham que o Irã teria menos chance de enriquecer seu urânio até o alto grau de pureza necessário para o uso em armas nucleares. Teerã garante que seu programa nuclear está voltado apenas para a geração de eletricidade e para fins científicos.

"Para promover uma interação construtiva, declaramos nossa prontidão para a troca de combustível, desde que seja feita dentro do país", disse Ramin Mehmanparast, porta-voz da chancelaria iraniana.

"Estamos preparados para uma troca de combustível, embora não vejamos como correta esta condição de fornecer combustível ao reator de pesquisas de Teerã por meio de uma troca", disse ele.

O Irã afirmou na segunda-feira que selecionou possíveis locais para dez novas usinas de enriquecimento de urânio, sendo que duas podem entrar em construção já neste ano.

Também na segunda-feira, Israel propôs um embargo ao setor energético iraniano, mesmo que sem o aval da ONU. O Estado judeu não descarta uma ação militar contra a República Islâmica, mas analistas dizem que considerações técnicas e políticas complicam essa hipótese.

(Reportagem de Ramin Mostafavi)

Extraído de msn.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário