Pesquise No Blog

Loading

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Será mesmo ?

Segundo o presidente de Israel a democracia no Oriente Médio facilitará a paz com o palestinos. Será mesmo ?
Acredito eu que essa declaração tenha sido proferida pelo simples fato de que os EUA farão a pressão costumeira para que os novos governantes dos países do Oriente Médio que tiveram seus ditadores derrubados pela população não sejam de origem muçulmana ou ligados a grupos com esse teor. Com isso os palestinos que tinham apoio desses países, correm o risco de não terem mais e assim ficarem enfraquecidos diante de um acordo com Israel, que eu duvido que aconteça caso esse cenário se desenhe. 
Realmente, assim fica mais fácil de conversar com os palestinos...

Madri, 21 fev (EFE).- O presidente de Israel, Shimon Peres, declarou nesta segunda-feira que um Oriente Médio democrático favoreceria a paz com os palestinos e considerou que os protestos nos países árabes são mais uma "revolução social" do que política e revelam que "uma nova era" está chegando.
"Há mais possibilidades de se resolver o problema palestino dentro da mudança geral que se está produzindo no Oriente Médio. Um Oriente Médio democrático é mais propício para a paz", afirmou Peres em declarações à cadeia pública "Televisión Espanhola" (TVE), horas antes do início de sua visita oficial à Espanha.
O presidente israelense destacou que, dada a situação de pobreza e falta de liberdades nos países da região, os protestos que vêm sendo registrados eram "inevitáveis".
Peres falou principalmente da situação no Irã e se declarou "convencido" de que o regime de Mahmoud Ahmadinejad "cairá, por seu próprio povo, mais cedo ou mais tarde".
Também ressaltou que nos países árabes não haverá democracia se não houver igualdade de direitos para as mulheres e advertiu que será complicado que se rompam com a "estrutura familiar".
Sobre a repercussão que as futuras eleições no Egito terão nas relações com Israel, Peres disse que, como israelense, deseja que os egípcios "realmente possam desfrutar de liberdade" e prosperidade econômica.
"Houve épocas em que os árabes estavam à frente do progresso. Está em suas mãos", disse o presidente israelense, quem acrescentou que não falou com Hosni Mubarak desde que este deixou o poder, mas que ele cumpriu sua promessa de manter a paz. EFE


Extraído de msn.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário