Pesquise No Blog

Loading

domingo, 4 de julho de 2010

China

O país mais populoso do mundo pode chegar a 1,390 bilhões de habitantes em 2015.

Apesar do numeroso dado o governo chinês conseguiu manter o crescimento da população abaixo dos 40% por ele estipulados. Muito disso se dá por conta de políticas do governo para controlar a natalidade como a "política do filho único".

Outro dado interessante é que pela primeira vez a população urbana vai superar a rural na China (o que só veio a acontecer agora pois o governo chinês sempre implantou políticas para segurar a maior parte da população no campo para que o país não entrasse em colapso - já pensou o caos que seria se toda a população chinesa usufruísse dos bens que se consegue ter facilmente no meio urbano ? - como a implantação de técnicas de agricultura como a jardinagem que exige bastante mão-de-obra).


Pequim, 4 jul (EFE).- China, o país mais populoso do mundo, alcançará os 1,390 bilhão de habitantes antes do fim de 2015, segundo previu a comissão nacional de população e planejamento familiar, a principal agência demográfica do país asiático.


A previsão da comissão é que dessa massa populacional, 200 milhões terão mais de 60 anos, o que representa um avanço do envelhecimento, como publicou o diário oficial "China Daily".


Na próxima meia década, os residentes urbanos alcançarão os 700 milhões, excedendo pela primeira vez o número de população rural.


O crescimento demográfico chinês começará uma inversão a partir de 2015.


As estatísticas do Governo chinês indicam que sua população era de 1,320 bilhão no fim de 2008, o que representa 2,5 vezes mais do que a massa demográfica na fundação da República Popular, em 1949.


Analistas independentes assinalam que o número real é superior, já que nas áreas rurais as famílias costumam esconder a existência do segundo filho para evitar penalizações com a "política do filho único".


Graças a essa restrição, a população chinesa cresceu abaixo de 40% entre 1978 e 2008, segundo o Governo. EFE

Extraído de msn.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário