Pesquise No Blog

Loading

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Tensão na fronteira entre Brasil e Paraguai

Já havia comentado aqui em post anterior que a relação entre brasileiros e paraguaios na fronteira (figura abaixo) é alvo de tensões, principalmente entre agricultores brasileiros (principalmente os sojicultores) e traficantes também com os sem terra paraguaios. 

Segundo os sem terra, os brasileiros invadiram terras destinadas a reforma agrária uruguaia, já os brasileiros se defendem dizendo o oposto. Ambos os governos têm se reunido para tentar solucionar esse impasse e diminuir a tensão entre os dois grupos. 

Pra quem achava que a expansão da soja caminhava só em direção ao norte do país, pode perceber que a mesma também caminha para fora de nossos limites territoriais. É o nosso país demonstrando que aprendeu certas práticas de imperialismo direitinho tanto com o Tio Sam quanto com o os europeus... 

Região de conflito entre brasileiros e paraguaios. Reprodução: Agência Brasil


Brasília – A tensão no Alto Paraná, fronteira do Paraguai com o Brasil, foi reduzida nesta quinta-feira 2 diante da possibilidade de uma solução negociada pelo governo. Há mais de uma semana, os chamados brasiguaios, agricultores brasileiros que vivem na região, enfrentam a pressão dos sem-terra paraguaios, denominados carperos, que querem que eles abandonem as terras. Paralelamente, o governo do presidente Fernando Lugo aumentou a segurança no local.

O comandante das Forças Armadas do Paraguai, Felipe Melgarejo, foi na quarta-feira 1º ao Congresso para prestar explicações sobre os conflitos entre brasiguaios e sem-terra. Na audiência com os parlamentares, o militar disse que o governo pretende rever os procedimentos de medição das terras e comprometeu-se a buscar uma solução para o impasse.
Desde o mês passado, brasiguaios enfrentam a pressão dos sem-terra na região de Santa Rosa del Monday, no Alto Paraná. Para os sem-terra paraguaios, a área foi ocupada irregularmente, pois anteriormente estava previsto que ela seria utilizada para reforma agrária. No entanto, os brasileiros negam que as terras sejam irregulares.
No Paraguai, a delimitação de terras é submetida a uma legislação complexa. Mas as definições mas delicadas se referem às áreas de fronteira. A estimativa é que cerca de 350 mil brasileiros vivam em território paraguaio – a maioria é de agricultores.
A controvérsia envolvendo brasileiros e paraguaios é tema de reuniões diárias entre as autoridades dos dois países. A Embaixada do Brasil no Paraguai informou que o embaixador Eduardo Santos dedica-se nos últimos dias a conversar com integrantes do governo Lugo e parlamentares para encerrar a tensão.
No Brasil, o assunto é acompanhado pelo encarregado de Negócios do Paraguai no Brasil (o principal representante do governo em Brasília), Didier Olmedo.




Nenhum comentário:

Postar um comentário