Pesquise No Blog

Loading

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Promessa de campanha ou resquícios da crise ?

O presidente Barack Obama pretende em curto prazo encerrar a intervenção norte-americana no Iraque, uma guerra que já dura desde 2003. Obama fez disso uma de suas promessas de campanha, aliás uma das principais, e de fato ela é louvável já que todos sabemos que essa guerra só começou por causa daquele engôdo disfarçado de discurso de se antecessor, Bush, de guerra preventiva (que na verdade nada mais era do que Bush dando "aquela moral" para a indústria bélica de seu país, que foi a que bancou a sua campanha).
Contudo, mesmo que a atitude de Obama seja louvável, me pergunto se tal atitude foi unicamente o cumprimento de sua promessa de campanha ou se dentro desse contexto não há também a questão da crise econômica que fez um belo estrago na economia norte-americana, impossibilitando que os gastos com essa guerra fossem mantidos. O que vocês acham ?


WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos EUA, Barack Obama, declarou na terça-feira o fim da missão de combate de sete anos no Iraque e disse aos cidadãos cansados da guerra que sua responsabilidade central agora é restaurar a economia norte-americana.
"É a hora de virar a página", disse Obama em discurso no Salão Oval da Casa Branca, falando da mesma mesa que o ex-presidente George W. Bush usou para declarar o início do confronto em 2003.
Obama, que herdou a guerra de Bush e enfrenta outra no Afeganistão, disse ter cumprido uma promessa da campanha de 2008 para encerrar as operações de combate dos Estados Unidos no Iraque e que "o povo iraquiano tem agora a responsabilidade pela segurança de seu país."
O primeiro-ministro iraquiano, Nuri al-Maliki, disse aos cidadãos que seu país "hoje é soberano e independente", mas muitos estão apreensivos com o poderio militar reduzido dos Estados Unidos, especialmente em meio à violência contínua e ao impasse na tentativa de formar um novo governo seis meses depois de uma eleição inconclusiva.
Quase 1 trilhão de dólares foi gasto e mais de 4.400 soldados norte-americanos e ao menos 100 mil civis iraquianos foram mortos desde a invasão de 2003. Uma pesquisa recente da CBS News mostrou que 72 por cento acreditam que a guerra não valeu a pena, levando em conta o número de mortos de norte-americanos.
O impasse no Iraque aumentou as tensões, com políticos brigando pelo poder e insurgentes perpetrando ataques com o objetivo de minar a fé nas forças de segurança interna.
"Nesta noite, eu encorajo os líderes do Iraque a avançar com um senso de urgência para formar um governo inclusivo que seja justo, representativo e responsável para o povo iraquiano", disse Obama.
O presidente, que foi contra a guerra desde o início, afirmou que conversou por telefone com Bush no início do dia. Ele ensaiou um elogio a Bush, como os republicanos queriam, por aumentar as tropas em 2007, o que ajudou a reverter o cenário da guerra.
"É bem conhecido que eu e ele discordamos sobre a guerra desde o início. No entanto, ninguém pode duvidar do apoio do presidente Bush às nossas tropas, ou seu amor pelo país e compromisso com a nossa segurança", afirmou.

Extraído de msn.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário